Buscar
  • Mauro Vicente

QUANTO VALE MINHA EMPRESA ?


QUANDO E PORQUE É TOMADA A DECISÃO DE VENDER UMA EMPRESA?

O negócio vai muito bem, obrigado.

Mais por uma série de fatores pessoais ou mesmo financeiros ele não é mais viável para o proprietário ou para os sócios. Chegou a hora, então, de oferecê-lo ao mercado de mergers and acquisitions.

A questão é:

Como preparar a empresa para o processo de venda e, principalmente, como torna-la atrativa nesse momento?

COMO AVALIAR DE FORMA JUSTA O VALOR DA MINHA EMPRESA?

Essa é a principal indagação de um empreendedor quando sua organização chega à maturidade após passar por um ciclo de transformações e mudanças.

É hora de dar o próximo passo, atraindo novos investidores e definindo seu crescimento e criação de valor a longo prazo.

É de extrema importância que o empreendedor conheça seu negócio, questionando se o valor que acionistas e administradores enxergam, considerando seus riscos e oportunidades, é o mesmo percebido pelo mercado. Afinal, quem compra é quem de fato dita quanto vale.


O QUE É VALUATION E QUAIS SÃO OS MÉTODOS DE AVALIAR AS EMPRESAS?

O Valuation é a forma de estimar quanto uma empresa vale, determinando seu preço justo por meio de um processo técnico, científico, baseado em premissas e metodologias aceitas em todo universo empresarial.

Os métodos mais utilizados de Valuation são:

  • Valor patrimonial contábil e goodwill;

  • Avaliação relativa ou múltiplos comparáveis;

  • Fluxo de caixa descontado ( FCD ).

SEJA NA VENDA, NA AQUISIÇÃO OU MESMO EM UMA JOINT VENTURE, SEUS ATIVOS DEVEM SER VALORIZADOS.

Antes de “bater o martelo”, os ativos serão ponto de discórdia do processo decisório, uma vez que compõem o valor do negócio.

Então empresas que irão passar por estes processos, devem ter claramente definidos os valores de seus ativos para não se arrepender depois pelo valor que pagaram ou pelo valor que venderam seus ativos.

Uma correta avaliação, geralmente é bem-feita por quem não faz parte da compra ou da venda dos mesmos.

COMO SABEMOS QUAL O VALOR DOS ATIVOS QUANDO LADOS OPOSTOS DEVEM OPINAR?

Quem compra quer desvalorizar, enquanto quem vende quer valorizar os ativos. Até mesmo em uma fusão, quais os ativos devem fazer parte?

Perguntas como estas seriam facilmente respondidas pelos especialistas das empresas, caso não houvesse diferentes interesses em jogo.

Trabalhar com imparcialidade, visando o resultado final e não um ganhador é o que se recomenda nestas situações. Por isto uma terceira pessoa, no caso um consultor, é chamado a participar deste processo.

E COMO VALORIZAR OS ATIVOS?

O consultor visa a avaliação do ativo dentro de sua relevância nos seguintes quesitos:

  • Estado do ativo.

  • Valor de mercado.

  • Importância do ativo dentro do processo.

  • Capacidade do ativo em produzir.

  • Estrutura em que o ativo está inserido.

  • Vantagem competitiva do ativo.

E QUAIS SÃO ESTES ATIVOS?

O consultor irá avaliar o negócio com olhar pragmático sobre ativos tangíveis e também sobre:

  • Valor da marca.

  • Recursos Humanos.

  • Clientes.

  • Rede de distribuição e comercialização.

  • Capacidade de expansão de negócios.

  • Vantagens econômicas e tributárias.

  • Consolidação estratégica do negócio.

ESTABELECIDOS OS VALORES, E AGORA?


Tomada a decisão, agora é necessário implementá-la. Para que nada fuja do objetivo inicial, uma série de medidas são necessárias em todos os níveis. Há um planejamento a ser feito e um projeto a ser acompanhado. Pessoas necessitam estar comprometidas com a decisão tomada. Tudo isto fica muito mais factível quando gerido por pessoas que exclusivamente tem preocupação com o resultado final.



Mauro Vicente é sócio da TRYSOR Consulting.


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo